To read any post in English, click on Read more.

In other words...

Thursday, 10 May 2012

Se ela não estivesse presa ao pescoço...


Entrei no metro com um destino muito diferente do habitual e logo no início da viagem achei que estava na direção errada. Levei atrás de mim o casaco, o saco e a carteira e fui verificar as linhas todas e os respetivos destinos. Pareceu-me estar tudo bem, pelo que voltei, com as minhas tralhas atrás, a sentar-me no lugar.
Entretanto a carruagem foi esvaziando e umas paragens mais à frente voltei a fazer o mesmo: pegar na mercadoria e ir verificar a linha em que estava, mas desta vez achei que alguma coisa estava errada, pelo que decidi sair. Fiquei um bocado revoltada quando me dirigi para a porta e esta estava já a fechar. Ainda tentei carregar no botãozinho, mas ela não voltou atrás.
Achei que o melhor era voltar a sentar-me e esperar pela estação seguinte. Eis senão quando vejo a minha carteira pousadinha no banco em que eu tinha estado.
Ia tendo um ataque de pânico e pus-me a imaginar as piores situações que teriam acontecido se aquelas portinhas não tivessem sido tão mazinhas e não se tivessem fechado na minha cara.
Já é a segunda vez em que quase que deixo uma carteira no metro, e no verão passado deixei-a mesmo a passar a noite no chão da receção do hotel.
Não sei o que tenho na cabeça, mas memória não é de certeza.

11 comments:

Queen C said...

Obrigada pelos teus comentários, também gostei muito do teu blog :)
Agora sim, encontrei a felicidade e isso é realmente bom quando andaste tanto tempo enganada quanto ao seu significado. Quanto às dores de cabeça da minha mãe são mesmo a maior e melhor desculpa para ignorar problemas ou para ter atenção.

Vespinha said...

Olha-me esta pérola: fui tirar café à maquina, onde tinha de digitar o tipo de café que queria. Dei por mim embasbacada a olhar para aquilo à procura do teclado para digitar o pin do multibanco...

Filipa said...

uiii.... afinal as portas foram amigas!!! :D
imagino o teu alivio...
XOXO

Filipa said...

uiii.... afinal as portas foram amigas!!! :D
imagino o teu alivio...
XOXO

Atena said...

Obrigada pelo teu comentário no meu blog. Vou passar por aqui mais vezes. Gostei.

GritaP said...

Tens é uma sorte descomunal e a séria desconfiança que uma força maior te impede de perder os valores!

Uma carteira passar a noite no chão de um movimentado hotel sem desaparecer? Uma carteira largada num banco de metro? Por favor! Que milagre!

Eu sentei-me com a carteira no bolso da casaco e quando me levantei para sair do autocarro, dei 2 passos e já não a tinha. Cair, não caiu... E não estava cheio de gente. Só um rapaz por perto...

Também nas compras num supermercado levava a carteira na mão e para não a perder, abri a mala e deixei-a cair para dentro. Mas deve ter ficado entre o corpo e a mala, pois desapareceu...

Alguém viu, alguém apanhou mas ninguém mas entregou de volta! Nem mesmo as encontrei no lugar onde as "perdi".

Fiquei mal, porque quase nunca ando com dinheiro e das duas vezes em que isto aconteceu foi a excepção. Levava comigo 50€ para um presente e da outra vez tinha descoberto na carteira 50€ que nem sabia ter, mas que andavam comigo fazia MESES! FIquei tão feliz e contente, só para mos roubarem a seguir.

Custa muito... uma pessoa priva-se dos mais pequenos prazeres para economizar, para depois perder tudo assim...

Karmas, karmas...

Por superstição, jamais voltarei a ter essa quantia na carteira.

Pics said...

Vespinha, isso deve ser do cansaço ;)

Filipa, se foram! Não sei o que teria feito se elas se tivessem aberto.

Atena, obrigada :)

GritaP, tens razão, tenho tido mesmo muita sorte. Mas também já fui assaltada e sei que a sensação não é nada agradável. Na noite no hotel não sei como não fiquei sem nada. A carteira foi encontrada por algum trabalhador que tomou conta dela, mas antes disso podia ter sido encontrada por outra pessoa qualquer com interesse no seu conteúdo.
E, se me permites, fazes bem em não andar com muito dinheiro. Eu ando sempre só com meia dúzia de moedas por causa disso mesmo.

Lita said...

E tiveste uma sorte imensa!!*

Pics said...

Lita, tive mesmo!

cereais said...

Eu também já tive dessas. Tipo ir ao MB levantar dinheiro, tirar o cartãozinho e vir-me embora e deixar lá o dinheiro. a sorte foi uma pessoa me chamar à atenção!

Pics said...

cereais, essa também é um bocadinho chata. Eu não tinha dinheiro nenhum na carteira, mas tinha os meus cartões e a minha identidade. Era capaz de ser chato.