To read any post in English, click on Read more.

In other words...

Thursday, 2 February 2012

Amor-surpresa


O meu namorado sempre teve uma teoria em que eu cada vez vou acreditando mais: os casais que passam a vida a trocar presentes a torto e a direito estão a compensar a falta de qualquer coisa. Normalmente, de amor.
E, de facto, tem tido sempre razão. Uma vez disse-lhe que o namorado de uma amiga minha lhe tinha oferecido um anel giríssimo e ele respondeu-me que não lhes dava muito tempo. Efetivamente, três meses depois tinham acabado. Uns tempos depois contei-lhe que o namorado de uma colega minha passava a vida a oferecer-lhe prendas, de tal modo que ela se sentia culpada porque nunca lhe tinha oferecido nada. Duraram menos de um ano.
Eu sei que casos pontuais não fazem regras e que sabe bem ir recebendo uma coisinha ou outra, mas valorizo muito mais pequenos mimos como uma carta, uma sobremesa caseira só porque sim, um passeio inesperado e palavras carinhosas como manifestos sinceros de amor, do que objetos caros vazios de significado. Sobretudo porque o amor nunca foi suposto ser caro.


7 comments:

almond_girl said...

Ainda acrescento mais: outro factor inversamente proporcional à solidez da relação é o espalhafato amoroso feito pelos conjuges. Casalinhos que se bombardeiam com "amo-te muito fofinho" por tudo e por nada, "tenho tantas saudades tuas" depois de 10 minutos de afastamento, casamento facebookiano a 2 dias do ínicio da relação e todo o show de partilhas músicais e de mais frases lamechas... Nunca vi nenhum durar 6 meses. Casais mais discretos mantêm-se muito mais...
Acho que ambos os casos citados (o meu e o teu) são aplicações práticas do ditado "as aparências iludem".

Pics said...

Ah, sim, as declarações via facebook são outro caso à parte. De vez em quando ponho uma música ou qualquer coisa no do meu namorado, mas acho que nunca lhe escrevi que o amo. Digo-lho todas as vezes e várias vezes ao dia.
Haha essas do "casado com", que mudam logo para "solteiro" são demasiado risíveis.

almond_girl said...

mesmo. Eu e o meu boyfriend temos uma relação muito pouco convencional. Juro que se passam meses sem dizer-mos "amo-te" um ao outro - e se eu disse que se passam meses, entenda-se que a barreira do "primeiro ano" já lá vai. Não temos qualquer relação no facebook, sequer, e só mandamos um ao outro qualquer ligação casual, por piada ou de interesse comum. pelas redes sociais ninguém dava conta sequer que estamos juntos ahah.
Mas ya, acho fantástico a previsivel evolução dos relacionamentos facebookianos ^^

Pics said...

A sério? Hehe eu sou muito lamechas, por isso não conseguia passar meses (nem sequer passam dias ;p) sem lhe dizer "amo-te". Mas o essencial é que os sentimentos estejam lá e sejam demonstrados ao outro. Quando são só demonstrados aos outros é porque falta mesmo lá qualquer coisa.

*Sininho* said...

Adorei a tua conclusão: de facto o amor nunca foi suposto ser caro. Já quanto às declarações de Amor constantes... eu sou como tu, sempre a dizer-lhe que o amo :)

Lima e Tequilla said...

Eu também tenho a mesma opinião. Eu acho e sinto que se o meu namorado me está sempre a comprar presentes está a comprar-me a mim e ao meu amor. É por isso que prefiro que ele me dê coisas mais baratas e simbólicas do que coisas super caras =)

Anna said...

As coisas boas da vida, n têm q ser caras, mas sim únicas =)*