To read any post in English, click on Read more.

In other words...

Tuesday, 23 October 2012

Estabelecer prioridades


Cada pessoa tem direito a estabelecer as suas prioridades e ninguém tem nada com isso: não olho de lado quem passa fome durante um mês para poder comprar as novas calças de rabos grandes da Salsa nem julgo quem não vá nunca jantar fora para poder pagar a casa nova. No entanto, choca-me aperceber-me de que há quem ponha as suas prioridades à frente das dos seus filhos e vá todos os dias para o trabalho num carro decente e recente, enquanto o marido faz exatamente o mesmo, deixando que os filhos não possam continuar a tomar a medicação indicada por falta de dinheiro.
Repito que da sua vida cada um sabe, mas há injustiças que me deixam de boca aberta. E é por coisas destas que nem todos fomos feitos para ter filhos.

5 comments:

Rui Pi said...

Vê-se cada vez mais esta preocupação com o que se mostra e o que se tem. Claro que cada um tem as suas prioridades, mas há limites. Isto que contas aqui chocou-me bastante, mas há coisas mais pequenas e igualmente ridículas que, não fosse o mal da situação, dariam para rir.
Por exemplo, a senhora que vai à cabeleireira e que se queixa que lá na família está tudo muito mal, que já estão quase a passar fome, e que ATÉ já tiveram que cortar com a Tv Cabo.

E depois também há aquelas pessoas que passam o dia a queixar-se da falta de dinheiro, mas andam com um smartphone em cada bolso e pintam o cabelo ao mínimo fio branco.

Enfim... é uma palavra que tenho usado muito ultimamente... Enfim...

Miúda said...

nao percebo como tal e possivel, mas infelizmente nao somos todos iguais...

Ponto pequeno said...

Rui Pi, se uma mulher adulta se queixa de que já teve de cortar a Tv cabo, mas vai ao cabeleireiro todas as semanas, é lá com ela. Mas se deixar em casa filhos esfomeados ou sem livros para levar para a escola, aí é que a assistência social devia intervir.

Miúda, infelizmente, ou felizmente. Gosto de pensar que quando for mãe vou pôr sempre os meus filhos à frente de tudo.

*C*inderela said...

Acho que cada um tem as suas prioriadades e cada um sabe de si - o que poderá ser prioriade para mim poderá não ser para outros! - mas quando se trata em "negligenciar" uma criança em prol de luxos é algo que me choca imenso. Também conheço casos assim! Se não queriam abdicar de luxos que não tivessem filhos, eles não têm culpa de nada.

Ponto pequeno said...

*C*inderela, exatamente o que eu disse e acho. Não me incomoda que alguém gaste o pouco que tem num bilhete para um jogo de futebol, desde que não me meta ao barulho. Mas fazê-lo quando deixa em casa um filho sem comer já me parece uma falta de respeito.